15 de fevereiro de 2010

O julgamento

Carinho de uma pessoa amada, areia nos pés, vento no rosto, melodia prazerosa, conforto de um amigo, banho de chuva, pôr do sol, vista das montanhas, descobrir um mundo novo, conversar com o Pai, noite de lua cheia, fazer novas descobertas, aprender com os erros, reconciliar amizades, passar o tempo com pessoas queridas, ser você mesmo.
Existem tantas sensações que nos dão prazer, tantos momentos que gostamos de presenciar. As vezes nós os deixamos de fazer porque não temos tempo, ou pior, porque temos vergonha. Mas porque se envergonhar de algo que lhe dá prazer?
Pode ser porque não queremos que as pessoas se afastem de nós por causa das coisas que fazemos. Antes de sentir vergonha das pessoas, observe primeiro tais atos. É uma prática digna? É um estilo de vida certo para se levar? Antes de querer tirar os ciscos dos olhos das pessoas, observe seus próprios olhos para retirar as farpas. Não queira que as pessoas o aceitem se a vida que você leve não é algo aceitável. Pense primeiro se os prazeres que você gosta de sentir são coerentes com a vida que você quer levar.
Não é fácil balancear a vida que você quer levar com a aceitação das pessoas, mas se tal vida for aceitável ao principal julgador, nosso Deus, então não ligue para o preconceito das pessoas, você terá um prazer maior satisfazendo a quem realmente interessa.

3 comentários:

  1. Pão, estou impressionada. Você escreve muito bem. Desenvolva mais esse dom e com certeza terás um blog com milhares de visitantes todos os dias. Parabéns. Estou te seguindo.

    ResponderExcluir
  2. Tudo a mais pura verdade, tou vendo que você aprendeu bem comigo eim? kk' Continua assim que você vai longe aqui.

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde estou seguindo seu blog ^^

    ResponderExcluir